Blu-Ray e vídeos pornô: performance meio que deixa a gente na mão

retirado de – meiobit

A Sony quase matou o Blu-Ray, seu formato de DVDs de alta definição quando ameaçou cortar a licença dos fabricantes que prensassem DVDs Blu-Ray com conteúdo adulto. Só que o mercado falou mais alto. Queremos sacanagem, queremos Blu-Ray, dá teu jeito.

Diante desse dá-ou-desce, a Sony acabou amolecendo, e liberou geral.

piratas-capa Infelizmente o resultado não foi lá essas coisas. Imaginava-se ver até a assinatura do cirurgião plástico na cicatriz do silicone das atrizes, em uma versão pervertida da cena clássica de Blade Runner (ou a assinatura da Tyrell Corporation na Cobra, se fosse filme da Cicciolina). Na prática, o conteúdo dos filmes NÃO é filmado em alta definição, e fora CSI e similares, não dá para aumentar a resolução de um filme, a qualidade máxima é sempre a original em que foi filmado. (na verdade dá, o MIT tem uns projetos assim, mas é outro papo).

A Candy Hudson, que se diverte muito mais do que eu ou você e escreve para a APC Magazine, na Austrália em prol do jornalismo investigativo passou uma tarde de domingo assistindo a filmes de sacanagem em DVDs normais e Blu-Ray.

Ela usou o Piratas, primeiro filme XXX disponível em Blu-Ray na Austrália, que se fosse aqui seria chamado “Piratas do Vale do Silicone”, e é o filme pornô mais caro de todos os tempos. Gravado em 2005, em alta definição, dizem ter custado US$1 milhão. Se depender do Blu-Ray vão recuperar, a versão nesse formato está custando US$122,00. A versão DVD normal com três discos custa US$93,95.

Os resultados foram brochantes, para usar um termo técnico. Ela não conseguiu ver diferença. Chamou um amigo que primeiro achou ter conseguido ver algo, mas depois confundiu as versões, e desistiu. Um último foi um colega de redação entusiasta da tecnologia Blu-Ray, que não conseguiu identificar o que estava em alta definição e o que era DVD normal.

Pelo visto os CODECS do Blue-Ray são otimizados para paisagens, cenas de ação e filmes estilo Hollywood, não apresentando grande performance quando o assunto são close-ups e tons de pele (muita pele!).

Isso é preocupante. As vendas do Blu-Ray já estão fracas. Se nem pra sacanagem ele serve, sua adoção vai demorar muito, muito mais do que o planejado. Lembrem-se, o grande estou do Video-cassete foram os filmes de sacanagem. Assim como a Fotografia, o Cinema e a TV por assinatura. Se algo não serve para sacanagem, sua curva de adoção é quase tão longa quanto a do Damien, se órfão fosse.

Fonte: APC Mag. Agradecimentos ao Sérgio B que me mandou a dica por imeio

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: